domingo, 28 de janeiro de 2018

Somos fortes, mas inconstantes...

Somos tantos como a areia do mar...
Somos fortes como as forças das muitas águas...
Somos impetuosos como as procelas das marés...
Somos castigadores de rochas nas encostas do mar...
Somos detentores de grandes mistérios em nosso interiores marítimos...
Somos o caminho no imenso mar da vida...
Somos também inconstantes como as águas do mar...
Somos também aqueles que detém o fôlego dos viajantes...
Somos também afogadores de vidas...
Somos também o desespero dos náufragos...
Somos também a destruição das encostas...
Portanto e entretanto... somente na presença de Deus e da sua palavra integrante e inefável... Somos moldados e transformados em vinho... o vinho bom da festa...
Somente na presença de Deus...
Portanto meus amados e mui queridos jovens... cuidado para ninguém se prive da GRAÇA de Deus, deixando de entrar pela fé no nosso objetivo...
...Como escaparemos nós, se não atentarmos para uma tão grande salvação... (Hebreus 2.3)

sábado, 23 de dezembro de 2017

A síndrome do profanado

Enquanto a noite se apresenta gélida, e os ventos se fazem ouvir em vozes medonhas... Tais momentos são similitudes de horas intermináveis e o alvorecer nem parece interessado a chegar... a voz embarga-se e se esvae, nem mesmo um pensamento suplicante a se formar... doravante algo está errado!!! Nem uma missiva de Socorro?

Seria o clamor daqueles que nem mesmo sabem o que está acontecendo?... e por que está acontecendo?...

Hoje despedaçou-me os sentidos ao olhar a rua deserta de comoção e ouvir burburinhos do cassoar dos que dizem bem feito, se deu mal... e ao mesmo tempo declararem sermões em nome de um pretensioso amor egocêntrico... sem respeito e sentimento pela dor, inerente de algumas insignes pétalas caídas de uma flor... de uma flor... que pela dor que sente dor...

E olharão para ti...

Pela multidão das tuas iniqüidades, pela injustiça do teu comércio profanaste os teus santuários; eu, pois, fiz sair do meio de ti um fogo, que te consumiu e te tornei em cinza sobre a terra, aos olhos de todos os que te vêem.
Todos os que te conhecem entre os povos estão espantados de ti; em grande espanto te tornaste, e nunca mais subsistirá. (Ezequiel 28.18 e 19)

Estamos diante de dois termos que necessitam de traduções especiais para continuarmos a reflexão:

O que é uma síndrome?

(do grego "syndromé", cujo significado é "reunião") é um termo bastante utilizado em Medicina Psicologia para caracterizar o conjunto de sinais e sintomas que definem uma determinada patologia ou condição.

A medicina indica que uma síndrome não deve ser classificada como uma doença, indicando que no caso de uma síndrome, os fatores que causam sinais ou sintomas nem sempre são conhecidos, o que acontece (quase sempre) no caso de uma doença.

No sentido figurado, o termo designa um conjunto de características que, quando associadas a situações críticas, podem gerar insegurança ou medo. Por exemplo: "síndrome da violência urbana".
Fonte: https://www.significados.com.br/sindrome/

O que é profanação?

Todas as vezes que faço a leitura dos escritos do profeta Ezequiel, fico indagando-me acerca da profecia direcionada ao Grande Rei Tiro, e é claro, há um certo paralelismo com o comportamento do ser angelical, decaído da ordem dos querubins. O comportamento inenarrável parece tão vívido e latente que nos causa constrangimento e pesar...

Como alguém que tenha tão elevada condição e posição possa ter sido tão ganancioso a ponto de cair em profanação?

A síndrome...
A profanação...
Comportamento psicossomático...
Sentimentos de um profanado...

*** Todas as forças para poder ajudar, só tem afastado mais os ajudados;
Sempre que buscamos alguém para fazer parte de sua vida, há esquiva de interesse;
*** Todas as imagens registradas nunca foram as que você está...
*** Todas as suas ideias no escrito são rejeitadas quando não há tempo;
*** Terminamos a noite sozinho, vendo as postagens daquelas pessoas que buscamos para conversar, reunidas numa festa que você nem sabia que estava acontecendo;
*** Quando você torce para ser escolhido e ninguém quer ter a sua companhia;
*** Quando os elogios são direcionados a um feito que todos sabem que foi você e que não lembram do seu nome;
*** Sempre nos vem como oferecidos quando gostariam que você não tivesse se manifestado...
*** Quando percebes que você nem faz falta...
*** Neste momento até parece desabafo... mas são resposta sociais que somente a síndrome da profanação pode causar...

Então, sentimos o desejo de não desejar mais nada, além de ficar realmente naquele lugar que terminou a noite...

Chovendo... ventos fortes e gelados e sentindo-se sozinho... sem vontade de sorrir ou falar... olhando pro nada e imaginando tudo... tudo sem sentido...

E se dizem que ego não foi feito para se amassagear... nem tudo faz sentido... mas os sentidos é que valem...

Hoje profanamos as pessoas que deveríamos nos aproximar mais.

sábado, 16 de dezembro de 2017

Quem trabalha mais é demitido mais rápido!

Esse texto é bem antigo, mas a mensagem é bastante atual... não se sabe o autor oficial.

“Todos os dias, uma formiga chegava cedinho ao escritório e pegava duro no trabalho. A formiga era produtiva e feliz.

O gerente marimbondo estranhou a formiga trabalhar sem supervisão. Se ela era produtiva sem supervisão, seria ainda mais se fosse supervisionada. E colocou uma barata, que preparava belíssimos relatórios e tinha muita experiência, como supervisora.

A primeira preocupação da barata foi a de padronizar o horário de entrada e saída da formiga. Logo, a barata precisou de uma secretária para ajudar a preparar os relatórios e contratou também uma aranha para organizar os arquivos e controlar as ligações telefônicas.

O marimbondo ficou encantado com os relatórios da barata e pediu também gráficos com indicadores e análise das tendências que eram mostradas em reuniões. A barata, então, contratou uma mosca, e comprou um computador com impressora colorida. Logo, a formiga produtiva e feliz, começou a se lamentar de toda aquela movimentação de papéis e reuniões!

O marimbondo concluiu que era o momento de criar a função de gestor para a área onde a formiga produtiva e feliz, trabalhava. O cargo foi dado a uma cigarra, que mandou colocar carpete no seu escritório e comprar uma cadeira especial… A nova gestora cigarra logo precisou de um computador e de uma assistente a pulga (sua assistente na empresa anterior) para ajudá-la a preparar um plano estratégico de melhorias e um controle do orçamento para a área onde trabalhava a formiga, que já não cantarolava mais e cada dia se tornava mais chateada.

A cigarra, então, convenceu o gerente marimbondo, que era preciso fazer uma pesquisa de clima. Mas, o marimbondo, ao rever as finanças, se deu conta de que a unidade na qual a formiga trabalhava já não rendia como antes e contratou a coruja, uma prestigiada consultora, muito famosa, para que fizesse um diagnóstico da situação. A coruja permaneceu três meses nos escritórios e emitiu um volumoso relatório, com vários volumes que concluía: Há muita gente nesta empresa!

E adivinha quem o marimbondo mandou demitir? 

A formiga, claro, porque ela andava muito desmotivada e aborrecida.” 

Quanto você Vale?

"– Venho aqui, professor, porque me sinto tão pouca coisa que não tenho forças para fazer nada. Dizem-me que não sirvo para nada, que não faço nada bem, que sou lerdo e muito idiota.
- Como posso melhorar?
- O que posso fazer para que me valorizem mais?

O professor, sem olhá-lo, disse:

– Sinto muito, meu jovem, mas não posso te ajudar. Devo primeiro resolver o meu próprio problema. Talvez depois.

E fazendo uma pausa, falou:

– Se você me ajudasse, eu poderia resolver este problema com mais rapidez e depois, talvez possa te ajudar.

– C...claro, professor - gaguejou o jovem, que se sentiu outra vez desvalorizado e hesitou em ajudar seu mestre. O professor tirou um anel que usava no dedo pequeno e deu ao garoto dizendo:

– Monte no cavalo e vá até o mercado. Devo vender esse anel porque tenho que pagar uma dívida. É preciso que obtenhas pelo anel o máximo possível, mas não aceite menos que uma moeda de ouro. Vá e volte com a moeda o mais rápido possível.

O jovem pegou o anel e partiu. Mal chegou ao mercado, começou a oferecer o anel aos mercadores. Eles olhavam com algum interesse, até quando o preço pretendido era informado. Quando o jovem mencionava uma moeda de ouro, alguns riam, outros saíam sem ao menos olhar para ele, mas só um velhinho foi amável a ponto de explicar que uma moeda de ouro era muito valiosa para comprar um anel. Tentando ajudar o jovem, chegaram a oferecer uma moeda de prata e uma xícara de cobre, mas o jovem seguia as instruções de não aceitar menos que uma moeda de ouro e recusava as ofertas.

Depois de oferecer a joia a todos que passaram pelo mercado, abatido pelo fracasso, montou no cavalo e voltou. O jovem desejou ter uma moeda de ouro para que ele mesmo pudesse comprar o anel, assim livrando a preocupação de seu professor e podendo receber ajuda e conselhos. Entrou na casa e disse:

– Professor, sinto muito, mas é impossível conseguir o que me pediu. Talvez pudesse conseguir duas ou três moedas de prata, mas não acho que se possa enganar ninguém sobre o valor do anel.

– Importante o que disse, meu jovem - contestou sorridente o mestre. – Devemos saber primeiro o valor do anel. Volte a montar no cavalo e vá até o joalheiro. Quem melhor para saber o valor exato do anel? Diga que quer vendê-lo e pergunte quanto ele te dá por ele. Mas não importa o quanto ele te ofereça, não o venda. Volte aqui com meu anel.

O jovem foi até o joalheiro e lhe deu o anel para examinar. O artesão examinou-o com uma lupa, pesou-o e disse:

– Diga ao seu professor, se ele quiser vender agora, não posso dar mais que 58 moedas de ouro pelo anel.

O jovem, surpreso, exclamou:

– 58 MOEDAS DE OURO!!!

– Sim, replicou o joalheiro, eu sei que com tempo poderia oferecer cerca de 70 moedas, mas se a venda é urgente...

O jovem correu emocionado para a casa do professor para contar o que ocorreu.

– Sente-se, disse o professor, e depois de ouvir tudo que o jovem lhe contou, disse:

– Você é como esse anel, uma joia valiosa e única. E que só pode ser avaliada por um expert. Pensava que qualquer um podia descobrir o seu verdadeiro valor?

 E dizendo isso voltou a colocar o anel no dedo.

 – Todos nós somos como esta joia. Valiosos e únicos, andando pelos mercados da vida pretendendo que pessoas inexperientes nos valorizem..."

 Autor: Desconhecido

Esta parábola, nos faz refletir sobre que nem todos estão preparados para nos avaliar, e consequentemente poderem nos valorizar.

deixa claro mais uma vez a importância e a responsabilidade dos profissionais, lideres, gestores etc. Que sabem identificar as "joias" que as empresas podem investir, e se prevenir também, para não perde-las.

Ninguém é insubstituível mais o talento, muitas vezes é único.

Ao mesmo tempo, vemos também muitas pessoas que mal sabem quais são seus talentos, e outras que por menos conhecimento ainda, degeneram mais ainda seu próprio valor.

François Rabelais já dizia “a pessoa vale tanto quanto o valor que dá a si própria”.

Importado do LinkedIn.

Ilustração: Um novo Gerente chegou

Uma empresa entendeu que estava na hora de mudar o estilo de gestão e contratou um novo gerente geral. Este veio determinado a agitar as bases e tornar a Empresa mais produtiva.

No primeiro dia, acompanhado dos principais assessores, fez uma inspeção geral na empresa.

No armazém todos estavam trabalhando, mas um jovem estava encostado na parede com as mãos no bolso.Vendo uma boa oportunidade de demonstrar a sua nova filosofia de trabalho, o novo gerente perguntou ao rapaz:

- Quanto é que você ganha por mês?

- Novicentos reais, porquê? - Respondeu o rapaz sem saber do que se tratava.

O administrador tirou os R$ 900,00 do bolso e os deu ao rapaz, dizendo:

- Aqui está o seu salário deste mês. Agora desapareça e não volte aqui nunca Mais!

O rapaz guardou o dinheiro e saiu conforme as ordens recebidas.

O gerente então, enchendo o peito, pergunta ao grupo de operários:

- Algum de vocês sabe o que este tipo fazia aqui?

- Sim, senhor - responderam atônitos os operários.

- Veio entregar uma pizza e estava aguardando o troco.

Tem pessoas que desejam tanto MANDAR, que se esquecem de PENSAR.