sábado, 21 de abril de 2018

Absalão, meu filho, meu filho!

Amei esta reflexão... e copiei na íntegra do amigo que cito a fonte no rodapé do texto...

Absalão se tornou inimigo do próprio pai. Durante anos, agiu como um filho rebelde, desrespeitando o pai, o rei de Israel e, pior ainda, desrespeitando o próprio Senhor. Seu egoísmo e sua rebeldia chegaram ao ponto de forçar uma guerra civil que custou a vida de 20.000 homens. Nesta guerra, as forças do rei mataram Absalão.

Quando Davi recebeu a notícia da morte de Absalão, ele não se gloriou na vitória sobre um inimigo. Ele lamentou a morte de um filho. “Então, o rei, profundamente comovido, subiu à sala que estava por cima da porta e chorou; e, andando, dizia: Meu filho Absalão, meu filho, meu filho Absalão! Quem me dera que eu morrera por ti, Absalão, meu filho, meu filho!” (2 Samuel 18:33).

Um filho perdido

Duvido que haja tristeza humana mais profunda do que o sofrimento de um servo de Deus que perde para sempre um filho. Davi, talvez mais do que qualquer outro autor do Antigo Testamento, valorizou as grandes bênçãos de comunhão com Deus. Entre as muitas passagens nos Salmos nas quais Davi falou da esperança e da comunhão com Deus está o último versículo do Salmo 23: “Bondade e misericórdia certamente me seguirão todos os dias da minha vida; e habitarei na Casa do Senhor para todo o sempre.”

Davi desejava a comunhão eterna com Deus, e certamente queria a mesma salvação para os seus filhos. Mas Absalão não deu valor à palavra de Deus, e não buscou as bênçãos espirituais que seu pai tanto ansiava. Absalão se mostrou um homem vão e carnal, e jogou fora a sua vida na busca por satisfação passageira.

Quando Davi soube da morte de Absalão, toda a esperança por aquele filho rebelde morreu. Até aquele momento, ainda alimentava a esperança, como fazem todos os pais de filhos desobedientes, do arrependimento e volta de Absalão. Mas a morte é o fim. Não teria outra chance. Não existe a reencarnação, nem o purgatório, nem qualquer outra segunda chance após a morte: “E, assim como aos homens está ordenado morrerem uma só vez, vindo, depois disto, o juízo” (Hebreus 9:27). A notícia da morte de Absalão sinalizou, para muitos em Israel, o fim do conflito e sofrimento que ele causou. Para Davi, trouxe as profundas emoções de um pai que perdeu, para sempre, um filho amado.

A culpa de Absalão

É bem comum, especialmente diante da morte triste de um filho como Absalão, procurar explicações para justificar sua trajetória à destruição. Muitos culpam a sociedade, os pais ou o próprio Senhor. Sem dúvida, outros seres humanos, e até os próprios pais, freqüentemente contribuem ao fracasso de um filho. Mas tais fatores não podem servir como desculpas ou justificativas. Apesar de qualquer circunstância de sua vida e independente das falhas dos outros, Absalão foi desobediente e rebelde. Ele tomou as decisões que o levaram ao fim trágico. Teve muitas oportunidades durante vários anos para arrepender-se e reconciliar-se com seu pai, mas não o fez. Poderia ter humilhado-se diante de Deus, diante Davi, e diante do povo de Israel, mas não venceu seu próprio orgulho e egoísmo. Absalão foi perdido porque Absalão foi rebelde.

O fracasso de Davi

Em alguns casos, bons pais servem ao Senhor e fazem de tudo para guiar seus filhos no caminho de Deus, mas o próprio filho, no seu livre arbítrio, rejeita a instrução e se destrói. Mas em muitos outros casos, os pais levam uma parcela de culpa. No caso de Davi, as falhas do pai certamente contribuíram à perda do filho. Apesar de ser um homem que buscava ao Senhor, Davi tropeçou diversas vezes. A falha mais marcante na vida dele foi o caso de adultério com Bate-Seba, levando-o a cometer homicídio. Davi se arrependeu, mas nunca recuperou totalmente a sua família. Como ele mesmo falou de exigir a restituição de quatro vezes de um ofensor, Davi “pagou” pelo seu crime com a vida de quatro filhos (2 Samuel 12:19; 13:32; 18:14-20; 1 Reis 2:23-25).

Davi falhou, também, na maneira de lidar com seu filho rebelde. A compaixão de um pai falou mais alto do que a justiça de um rei e servo do Senhor. Aplicou a lei com parcialidade, dando a Absalão uma certa liberdade

Fonte: http://www.estudosdabiblia.net/200431

segunda-feira, 19 de março de 2018

Dependentes Virtuais

Precisamos deles?

Certo dia obserbando os cuidados carinhosos e a relação entre uma PCD (Pessoa Com Deficiencia) e sua cuidadora (Mãe)...

O rosto cansado e olhar pesado da mãe mesmo amando o filho... O filho chamando a mãe sem parar... e com paciência coexistindo a troca...

Seria o desejo de se ver livre?

Um dependente não é como uma dívida que um dia se paga e se livra do carnê e fica com o prêmio!!!

Mas, queremos ficar com ele ou Não?

Somos sinceros com o nosso sentimento oculto ao olharmos para as deficiências alheia... Ou devemos ficar calado pois a sociedade prega que devemos engolir as nossas opiniões a respeito?

Baseando meus pensamentos com os estudos de um ensaio psicológico chamado "A Co-dependencia"

Um estudo que declara haver uma necessidade de se ter alguém que dependa de nós... para que sejamos úteis... e o fato de pensar na não existência do dependente... cria-se uma agonia no codependente...

Ser viciado na dependência de alguém...

Desejamos de fato a cura do dependente?

Como seria a vida de um dependente independente de você?

Podemos criar ou inventar os nossos próprios dependentes?

O filho menor mesmo não tendo deficiência ele depende dos pais...

Alguns pais, não veem a hora do filho crescer e se tornar independente, mas há uma certa preocupação, pois e se ele se esquecer de mim?

Não é difícil de se imaginar nos dias de hoje, quantos filhos abandonaram seus cuidadores e pais... para viver uma suposta vida longe das regras e cuidados!!!

Devemos cuidar de nossos dependentes como se fosse uma semente... que plantamos num solo... regamos e cuidamos... fornecendo as coisas necessárias à vida e desenvolvimento... esta semente irá germinar... e se tornará uma planta a sua espécie e maneira... e em crescimento... pode tornar-se uma grande árvore... com flores que dão sementes e frutos conforme a sua espécie de cuidado e treinamento...

Cuidados especiais à sementes especiais...

 Recebemos cuidados especiais e não nos tornamos especiais (no sentido de sermos super dotados, super poderes)...

Se falo em dependência virtual... posso também pensar em contraste a dependência física...

Dependência física  (no próprio corpo ou de ente querido)

Dependência virtual (na própria mente (razão) ou na circunstancia(vida))...

A síndrome do coitadismo...

Usamos o eufemismo para a deficiência:

- Tenho dificuldade nesta questão!!!
- A minha dificuldade eu ignoro!!!

Qual é a minha dependência ou deficiência?

Todos temos dependência ou criamos?

domingo, 18 de março de 2018

Cada QUAL vivendo o seu Qual!

Esta é mais uma reflexão de uma frase que me veio a mente e detive-me a indagar acerca do Tema!

- Cada qual... dizemos de alguém que possui uma identidade, um princípio ou uma formação. Não perguntamos diretamente a uma pessoa: - Qual é você? - Mas acredito estar errado, e não se encaixa aqui a indagação: Quem é você? - pois, não queremos saber as características pessoais de uma pessoa, mas a identidade precípua de cada qual!

Cada qual pode ter as mesmas características, mas cada qual reage #Cadaqualmente a sua maneira!!!

Gostei do termo inventado... (#Cadaqualmente).

Doravante, em qual "Qual" estamos?

Sabemos, primeiramente qual "Qual" somos?

Entretanto, quando vemos ou observamos pessoas distintas em seus grupos, indagamos:

Tal pessoa escolheu o seu "Qual" ou foi induzida a isto?

Pense novamente no expressão

- Cada qual no seu qual!

As idiossincrasias nos induz ao nosso QUAL, mas podemos reagir paradoxalmente aos nossos "Quais"?

- Qual é a tua #Ocupação?
- Qual é a tua #Ideia?
- Qual é o homem é a sua #Formação?

QUAL,  seria um grupo, uma etnia, uma posição?

Cada um defende o seu Qual?

Questionamentos nos ajudam a pensar...

A ocupação de uma pessoa pode falar sobre quem ela esconde ser, ou qual seria o seu QUAL?

Adoro este pensamento com anedotas!!!

- Quando, QUALquer um quer QUAL?

Em qual momento da minha vida me tornei QUAL sou hoje?

Em QUAL situação me encontro?

... continua!!!

O nosso "QUAL" não atrai o interesse de qualquer que seja...

MAS eu quero dizer que... não importa o QUAL que você esteja vivendo... esse QUAL vai passar... se em

1° Lugar:

Nos dispusermos a quebrar as nossas próprias barreiras que colocamos... e sairmos do nosso QUAL!!!

2° Lugar:

Negarmos a qualificacao do QUAL dos outros e nos colocarmos no lugar de servo!!!




terça-feira, 13 de março de 2018

Não há mais Ninguém!!!

Prosódia do vocábulo "NINGUÉM"

- Olhei para a minha direita, e vi; mas não havia quem me conhecesse. Refúgio me faltou; NINGUÉM cuidou da minha alma. Salmos 142.4;

O termo ninguém na língua portuguesa gramaticalmente refere-se ao Substantivo e ao Pronome...

No substantivo refere-se a: A ausência de pessoa... "Não há Ninguem ali..."

No pronome refere-se a: Uma pessoa não ilustre... "Existem uma pessoa lá, mas não é ninguém..."

Acabaram-se os "Ninguens"... agora só existem personagens e paradigmas ilustres...

No linkedin encontramos o termo "INFLUENCER"...

- Não há ninguém que busque...;

Existe uma ilustração hilariante acerca de quatro personagens da prosódica:

Todo mundo, Alguém, Qualquer um e Ninguém

Havia um trabalho importante a ser feito e TODO MUNDO tinha certeza de que ALGUÉM o faria.

QUALQUER UM poderia tê-lo feito, mas NINGUÉM o fêz.

ALGUÉM zangou-se porque era um trabalho de TODO MUNDO.

TODO MUNDO pensou que QUALQUER UM poderia fazê-lo, mas NINGUÉM imaginou que TODO MUNDO deixasse de fazê-lo.

Ao final, TODO MUNDO culpou ALGUÉM quando NINGUÉM fez o que QUALQUER UM poderia ter feito.

Fonte: http://www.contandohistorias.com.br/historias/2004302.php#.Wr6vkoFv80M

Verciculos:

-  não há ninguém que faça o bem. Salmos 14.1;

- Não haja ninguém que se compadeça dele, nem haja quem favoreça os seus órfãos. Salmos 109.12;

*** Os ninguém's... não tem parecer!!!;

*** Os ninguém's... não tem formosura!!!;

... olhamos nós para ele (NINGUÉM) e nenhuma beleza víamos... para que o desejássemos!!!;

... desprezamos... escondemos o rosto Deles (NINGUÉM)!!!;

... não fazemos Dele (NINGUÉM) caso algum!!!;

Apresentaremos UM que se fez o NINGUÉM e ultrapassou esta barreira... (Jesus) Isaías 53.

- NINGUÉM tem maior amor do que este: de dar alguém a sua vida pelos seus amigos.
No sentido substantivado... não existe!!!
No sentido pronominal... existe, mas ninguém sabe!!!

Deus sempre escolheu e usou aquele que não era paradigma, não era ilustre, e não era personagem famoso!!!

*** Deus escolheu Abrão do meio da idolatria!!!

*** Deus escolheu uma criança ameaçada de morte (Moisés)!!!

*** Deus escolheu um escravo, desconhecido, abandonado e vendido. Um inepto de entre seus irmãos para ser Governador (José)!!!

*** Deus escolheu um filho de uma prostituta, desprezado e expulso da herança pelos próprios irmãos para ser um líder para a libertação do seu povo (Jefté)!!!

Os poderosos se reuniram em assembleia para decidir algumas questões pertinentes e de suma importância para  cenário mundial!

Vai chegando as comitivas e assentando-se em seus lugares...

Cada um trazendo a sua armada e sua insignia ilustríssima.

Para cada um deles havia uma cadeira preparada, aos 24 mais dignos (Os Catedráticos).

12 catedráticos à esquerda e 12 a direita...

Formando a cabeça do círculo oval a cadeira principal do grande líder mundial... o TRONO!

De repente chega um grande livro com a sentença e ultimato para o desfecho da humanidade... Lacrado com sete segredos, que somente UM que fosse digno podia desvendar...

E O JUIZ estando assentado faz um sinal!!!...

- E num dado momento o seu porta-voz... levanta-se e com grande voz da uma brado... e anunciando diz:

- Quem é DIGNO de abrir o livro e desvendar o Sete selos ou segredos?

E NINGUÉM No Céu, nem na Terra, e nem embaixo na Terra... era DIGNO de o Abrir... nem de o LER... e nem de OLHAR... para ELE!!!

E houve silêncio... por meia hora...

Imaginemos a busca por esta pessoa totalmente digna... onde estaria?

Mas... nem no céu... Ele não estava lá (Ja havia descido...) para realizar a sua OBRA;

Nem na terra... Pois investigaram todos... mas olhando nós para Ele, nenhuma beleza víamos!!! (Ele vestiu-se de NINGUÉM...;

Nem embaixo na terra... Pois Ele já havia ressurgindo ao céu!!! (Ele apareceu lá no meio do Trono...)

Estavam atrasados na busca por aquele que estava em pé no meio do Trono... com aparência de cordeiro que havia sido morto e reviveu!!!

Enquanto todos os homens dizem "Eu não sou NINGUÉM... Naquele momento ele ergue a sua mão diante dos homens ilustre e diz:

Eu sou o NINGUÉM!

Só este NINGUÉM Jesus... pode salvar a humanidade...

Não olhe ou busque salvação nos alguéns... olhe para JESUS!!!

Aleluias!!!

domingo, 28 de janeiro de 2018

Somos fortes, mas inconstantes...

Somos tantos como a areia do mar...
Somos fortes como as forças das muitas águas...
Somos impetuosos como as procelas das marés...
Somos castigadores de rochas nas encostas do mar...
Somos detentores de grandes mistérios em nosso interiores marítimos...
Somos o caminho no imenso mar da vida...
Somos também inconstantes como as águas do mar...
Somos também aqueles que detém o fôlego dos viajantes...
Somos também afogadores de vidas...
Somos também o desespero dos náufragos...
Somos também a destruição das encostas...
Portanto e entretanto... somente na presença de Deus e da sua palavra integrante e inefável... Somos moldados e transformados em vinho... o vinho bom da festa...
Somente na presença de Deus...
Portanto meus amados e mui queridos jovens... cuidado para ninguém se prive da GRAÇA de Deus, deixando de entrar pela fé no nosso objetivo...
...Como escaparemos nós, se não atentarmos para uma tão grande salvação... (Hebreus 2.3)