domingo, 22 de março de 2009

Comentário bíblico: A sarça Ardente!


·DEUS FALA COM MOISÉS DO MEIO DA SARÇA ARDENTE: Leitura Bíblica: Êxodo 3.1-8

“1 E apascentava Moisés o rebanho de Jetro, seu sogro, sacerdote em Midiã; e levou o rebanho atrás do deserto, e chegou ao monte de Deus, a Horebe.
2 E apareceu-lhe o anjo do Senhor em uma chama de fogo do meio duma sarça; e olhou, e eis que a sarça ardia no fogo, e a sarça não se consumia.
3 E Moisés disse: Agora me virarei para lá, e verei esta grande visão, porque a sarça não se queima.
4 E vendo o Senhor que se virava para ver, bradou Deus a ele do meio da sarça, e disse: Moisés, Moisés. Respondeu ele: Eis-me aqui.
5 E disse: Não te chegues para cá; tira os sapatos de teus pés; porque o lugar em que tu estás é terra santa.
6 Disse mais: Eu sou o Deus de teu pai, o Deus de Abraão, o Deus de Isaque, e o Deus de Jacó. E Moisés encobriu o seu rosto, porque temeu olhar para Deus.
7 E disse o SENHOR: Tenho visto atentamente a aflição do meu povo, que está no Egito, e tenho ouvido o seu clamor por causa dos seus exatores, porque conheci as suas dores.
8 Portanto desci para livrá-lo da mão dos egípcios, e para fazê-lo subir daquela terra, a uma terra boa e larga, a uma terra que mana leite e mel; ao lugar do cananeu, e do heteu, e do amorreu, e do perizeu, e do heveu, e do jebuseu."

Transcrição do texto:

o anjo do Senhor em uma chama de fogo do meio duma sarça;
a sarça ardia no fogo; a sarça não se consumia; porque a sarça não se queima
bradou Deus a ele do meio da sarça;
lugar em que tu estás;
Eu sou... Moises encobriu o seu rosto;
o Deus de teu pai, o Deus de Abraão, o Deus de Isaque, e o Deus de Jacó;
Tenho visto atentamente a aflição do meu povo...; e tenho ouvido o seu clamor...; porque conheci as suas dores...;
Portanto desci para livrá-lo;
para fazê-lo subir daquela terra;

A sarça: Espinho, doloroso, incômodo, perturbador (sentido figurado): representa o exterior do homem;
Representava: Moises e o povo de Israel.
O fogo: Queima, arde e consome, aquece, prepara alimentos: representa o interior, a voz da alma ou espírito;
Representava: o Deus de Israel

Hipótese analítica: A Formação cultural de Moises... A fuga de Moises... A viagem intrapsíquica de Moisés... O conhecimento de Moises... Os questionamentos subjetivos de Moises... Dois tipos de Moises...
Introdução :
Deus usa um espinheiro (sarça), como símbolo do incômodo, uma representação que Moises teria se transformado de uma oliveira em sarça, pois teria deixado de lado suas convicções, expectativas e uma fé em tudo o que seu coração sentia e ardia por causa do povo de Israel. Moisés ao habitar em Midiã, não deixou de saber: Que o povo estava sofrendo no Egito; Que seu coração pedia justiça; E que era seu povo. Mas, com a decepção da ajuda que prestara a um patrício, ocorrendo na morte do egípcio, e de onde sai à frase questionadora: “Quem te colocou por príncipe de Israel”. Portanto, Moises agora se cala para a voz do coração e dos sentimentos, ao sair do meio do lugar onde estava o seu povo, entrando numa terra inóspita e com o costume e deus diferente. Ele prefere guardar seus sentimentos e aspirações num corpo seco, crepitante, sem vida e sem patriotismo (a sarça). O Moises sarça, pega todas as suas inferências e convicções, anseios e sonhos, coloca dentro de uma mala de agonias e decepções, e demanda uma viagem intrapsíquica, de onde se calaria para o que viesse a acontecer com o seu povo. “Se tapares seus ouvidos ao aflito, também clamará e não será ouvido” Provérbios 21.13.
A cantora Shirley Carvalhaes canta: “Silêncio aflito, quanto mais você se cala, maior é seu grito”

Perceba que Deus nunca deixou os seus escolhidos desistentes sem uma visão, imagem ou mensagem que lhe fale aos seus sentidos corporais, por mais que Moises não quisesse dar ouvidos ao que seu coração falava, não podia negar que seus olhos vissem as ovelhas, que tinha que cuidar, pois era de seu sogro, e, portanto, representava alguém que necessitava de cuidados e proteção, representava Israel nas mãos do bom pastor:
“Se estou cuidando das ovelhas que pertencem a um Midianita, por que não posso cuidar das ovelhas de Deus?” e “As ovelhas de Deus estão nas mãos de um Egípcio”. Estes eram os questionamentos subjetivos que Moises tentava não ouvir.

Moises, quando estava a apascentar o rebanho de seu sogro, vai ao monte de Deus, com aquele coração dorido, pois ele sabia que ali era o monte sagrado, segundo as histórias e que pela primeira vez tivera a oportunidade de subir nele, algumas vezes percebia a ocorrência de espinheiros pegando fogo e em segundo sendo devorado pelas chamas, talvez Moises assentado perto do rebanho, ficava olhando os pequenos incêndios que ali acontecia até que...
“... e olhou, e eis que a sarça ardia no fogo, e a sarça não se consumia”. Êxodo 3.2 parte B.

Deus fez com que a chama não devorasse a sarça, Deus escolhera uma sarça pegando fogo. Não poderia ter escolhido uma Oliveira, como símbolo de seu povo? – mas Deus escolheu este símbolo para chamar a atenção do desertor:

“E Moisés disse: Agora me virarei para lá, e verei esta grande visão, porque a sarça não se queima”. Êxodo 3.3.

Pensa que é assim, vai chegando com suas técnicas de interpretação, e vai examinando tudo a luz de suas idéias. A obra é de Deus, e o rebanho, ovelha de seu pasto. Você fica calado onde se deve falar e fala onde se deve ficar calado, no momento certo Deus te dirá:

“... não te chegues para cá; tira os sapatos de teus pés; porque o lugar em que tu estás é terra santa”. Êxodo 3.5.

A ordem de Deus à Moises, era pra que ele se despisse de suas formulações, de que se ficasse escondendo suas aspirações e sonhos e desejos para com o futuro de Israel. Deixasse de se proteger de seu passado, de seu povo, esquecer não é um bom remédio para as dificuldades e decepções, enfrente-os, Deus relembrou a Moises a sua missão:

“... eu sou o Deus de teu pai, o Deus de Abraão, o Deus de Isaque, e o Deus de Jacó”. Êxodo 3.6.

Eu sou o Deus da sua História. Ela nasceu em mim, e vive para mim, e vou usá-la na hora certa. Não adianta você desistir dos sonhos, pois eles não são seus, eles pertencem a mim, e eu os levarei a afeito através de você.

Eu sou o fogo ardente que fala dentro de você que se tornou uma sarça seca. Mas vou transformá-lo numa oliveira que é o subproduto (azeite) para acender o fogo da esperança do meu povo lá no Egito (sarça).

E quando voltares, alguém ou as pessoas olharão para você como olhou para Noemi, quando veio de volta da terra de Moabe e dirão: “Assim, pois, foram-se ambas, até que chegaram a Belém; e sucedeu que, entrando elas em Belém, toda a cidade se comoveu por causa delas, e diziam: Não é esta Noemi (agraciada)?”. Rute 1.19
Percebes neste vercículo, "foram-se ambas". Deus ainda não vai te deixar voltar sozinho, terá alguém neste retorno para te ajudar, a mesma coisa aconteceu com Moises, voltou com Arão.
Conclusão:
Portanto, já está no momento de você deixar de esconder-se, dentro de suas formulações subjetivas. Ficar pelos cantos, apenas observando as coisas acontecerem, com fisionomia de perdedor e reclamando da administração, fugindo das responsabilidades e cobrando das pessoas aquilo que é sua parte fazer, sendo que você fez e sabe fazer com que alguém se liberte da demasia tristeza que envolve suas vidas. Tome coragem e enchergue a sí mesmo ao invés de culpar as pessoas, ou até mesmo a administração, participava dela e saiu para criticá-la. Assuma seu posto!!!
Wagner Barros
Postar um comentário